Empreender

Errei! E agora? Como aproveitar os percalços para crescer no mundo empreendedor

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

x Arriscar e errar fazem parte do dicionário do empreendedor. Mas não se deixar abater e ter a coragem de seguir em frente exigem maturidade.

BOOMIT - imagem Post Errei e Agora

 

Por mais que “empreender” seja um termo superexplorado no momento, sendo divulgado como a maneira mais próspera e agradável de trabalhar, as práticas empreendedoras não contam com esse glamour todo que muitos enxergam e propagam.

Se formos nos basear unicamente no que é comum vermos na mídia, parece-nos que o mundo de quem empreende é claro, direto, com desafios “gostosos” de serem resolvidos. No dia a dia, porém, não é bem assim. Todo o brilho do empreendimento que dá certo e todo o sucesso do empreendedor que prospera têm origens árduas e repletas de muitos percalços – necessariamente.

Afinal, empreender tem tudo a ver com correr riscos.

Existem, é claro, chances de que esses riscos resultem em frutos. Todavia, ao realizar tentativas inovadoras, as falhas são inevitáveis.

Abrace a incerteza e a inovação em sua jornada

A ausência do erro é reflexo de pouca inovação. Se, por um lado, errar é preciso, é preciso também saber aprender com os erros e evita-los de maneira inteligente. Gerir o equilíbrio entre a inovação arriscada e o sucesso é um trabalho de mestre – e estamos aqui para trazer dicas de como conseguir alcançar esse tão sonhado objetivo.

 

INOVAR É SEMPRE UMA APOSTA

boomit inovacao 2

De acordo com o “Dicionário de Sinônimos”, são sinônimos do verbo empreender…

  1. interprender, fazer, executar, efetuar, interpresar, realizar. Tentar realizar uma tarefa difícil:
  2. apostar, arriscar, começar, delinear, entabular, experimentar, iniciar, intentar, procurar, resolver, tentar.

A partir das definições do próprio dicionário, podemos concluir que empreender tem tudo a ver com inovar e arriscar, e também que não se trata de algo fácil.

Talvez você nem saiba, mas algumas grandes empresas – em especial as mais moderninhas, de base tecnológica! – tratam a quantidade de tentativas ousadas de inovar como um termômetro para investimentos em projetos. Amazon e Netflix, por exemplo, entre outras gigantes já consagradas, inserem em suas culturas organizacionais a falha como ferramenta para o crescimento. Falhar não deve ser evitado, uma vez que pode trazer aprendizados indeléveis à empresa.

Falar que “fracassar é bom” pode soar bonitinho, porém…na prática, como empreendedores, todos temos muito medo de errar. E com razão. Muitas vezes, fracassar envolve perdas financeiras e exposição, tanto pessoal quanto da marca, e ninguém quer ser visto como alguém que cometeu um erro.

No entanto, você já pensou que a ausência de erros é sinônimo da ausência de novos experimentos? Não é por acaso que vários dos grandes empresários, antes de prosperar no mundo dos negócios, falharam – ou até mesmo atingiram a falência.

Ter mais disposição para fracassar e se colocar em posições de vulnerabilidade pode, muitas vezes, ser o caminho mais rápido para o sucesso 

Anjali Sud, CEO da Vimeo

Abílio Diniz, Mark Zuckerberg, Elon Musk, Maurício de Sousa e Bill Gates são alguns dos nomes que não fizeram sucesso logo na primeira tentativa de negócio. Sem isso, a vida deles não seria digna do roteiro de filme que é hoje.

O fracasso não é um fim em si mesmo. Apesar de parecer um obstáculo, ele também pode servir como degrau para o caminho do sucesso. “Aprender com os erros” é um ditado clássico, mas você sabe como colocá-lo a seu favor?

 

FALHA EMPREENDEDORA E PERSEVERANÇA

De acordo com a cofundadora da Boomit, Polyana Giardino, o fracasso faz parte do léxico de todo empreendedor, simplesmente por ele estar sempre experimentando novas maneiras de fazer as coisas – novas ideias, novos produtos, novos serviços e novas experiências. Porém, é importantíssimo não confundir a perseverança com a teimosia.

Para tanto, segundo Polyana, é fundamental estabelecer prazos realistas para submeter ao mercado a sua ideia. Muitas vezes, o empreendedor desiste de um negócio antes da hora, antes de ter validado corretamente suas hipóteses e seus MVPs. Outras vezes, também, insiste mais do que deveria, perdendo, assim, recursos valiosos em termos de tempo, dinheiro e capital social.

Outro ponto importante, de acordo com Polyana, é ter a maturidade para identificar se um erro foi causado por inovação ou por amadorismo.

Para o empreendedor, fracassar é uma certeza da qual não há como fugir. Ao nascer uma empresa, nasce um empreendedor. Empresas são feitas por pessoas, e o ser humano por natureza é falho. O crescimento do novo negócio evolui de acordo com o amadurecimento do seu gestor. Se o fracasso é inevitável e chega para todos, o que muda é a perspectiva diante do erro.

 

COMO IDENTIFICAR SE O ERRO FOI POR INOVAÇÃO OU POR AMADORISMO?

O perfeccionismo é um dos principais vilões do impulso de fazer novos projetos. Quando erramos, temos medo de sermos visto como menos capazes. Porém, nem sempre os erros ocorrem por incompetência.

Veja como classificar as formas de tratar os erros:

  • Erros condenáveissão originados por falta de atenção ou por falta de capacidade.
  • Erros aceitáveisacontecem devido à inadequação de processos, ao grau inerente de dificuldade da tarefa ou pela complexidade dos processos.
  • Erros louváveissão os erros que abordamos aqui, originados devido às incertezas com o futuro, em um teste de hipótese ou em um teste exploratório.

Alguns erros são bastante explícitos e fáceis de serem evitados. Por exemplo, se você entende que não pode estourar um limite de gastos, pense duas vezes antes de considerar um novo investimento. Insistir em deixar o caixa no vermelho sem nenhuma salvaguarda seria um erro condenável.

No entanto, se vale a pena investir e você tiver crédito na praça, pode ser arriscado – porém compensador – seguir em frente. Mesmo que se erre, é um erro aceitável. Muitas empresas tiveram origem nos primeiros milhares de reais de empréstimos ou mesmo no acerto de seguro-desemprego.

 

QUEM NÃO SE ARRISCA NÃO PETISCA

A vida é um eterno processo de tentativa e erro, assim como um novo empreendimento. Uma única falha, conforme a sua proporção, pode colocar tudo a perder, independentemente do porte ou do segmento da empresa.

Veja também!

Orgulhe-se de seus erros! – Conheça a maneira ‘maker’ de pensar

Mesmo quem conta com emprego nos moldes tradicionais pode ser demitido a qualquer momento, posições consolidadas podem cair e todos os dias vemos novas ideias superando velhas práticas. Então por que não se arriscar, imaginar o novo e fazer as coisas de um jeito diferente?

Aprenda sobre trajetórias de outros empreendedores, troque ideias com quem tem mais experiência, mas deixe de lado opiniões de quem nunca empreendeu sobre as incertezas do processo. Esqueça, também, da “camada de açúcar” que vemos sobre empreendedorismo na mídia, e abrace a incerteza e a inovação em sua jornada.

Tenha em mente o seu objetivo no empreendedorismo. Seja impactar pessoas, influenciar e mudar hábitos já consolidados ou simplesmente fazer com que seu talento toque as pessoas, tudo isso tem laços com um estilo de vida digno de roteiro de filme.

A vida empreendedora é para quem tem coragem de arriscar, humildade para reconhecer e aprender com seus erros e consistência para sempre seguir em frente.


Escreva um comentário

Bitnami