Empreender

Ao pensar em seu futuro, você é mais “alemão” ou mais “japonês”?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Um exercício interessante para pensar sobre vocação, carreira e oportunidades, a partir de duas abordagens bem diferentes.

post alemanha ou japao BOOMIT

Por Polyana Giardino

 

Imagine esta situação…

Você passa algum tempo de sua vida se preparando para realizar um sonho: o de abrir um café – daqueles bem charmosos! – na cidade de Berlim. Sua família é toda alemã, você já visitou inúmeras vezes o país europeu e isso só fez crescer a vontade de ficar por lá permanentemente.

O idioma não é uma barreira, já que você é fluente, fez cursos por aquelas bandas. Com a linguagem dominada e tendo bastante conhecimento de como é a vida na Alemanha, você então decidiu seguir com seu sonho. Vamos montar o café! Além do empreendimento ser uma maneira de ganhar dinheiro, você sabe que sua dupla cidadania garantirá diversos benefícios sociais por lá, uma tranquilidade a mais no meio desta jornada desafiadora.

Já em terras alemãs, você passa por uma entrevista na Prefeitura da cidade para iniciar o seu negócio dos sonhos e…surpresa! Eles apresentaram um mapeamento detalhado dos empreendimentos locais e dizem:

Como pode ver, não há necessidade de mais um café na cidade; temos uma variedade interessante, com diferenciais que atendem a todas as necessidades da nossa população.

O desânimo começa a brotar. Mas o funcionário continua: “Mas, veja bem, precisamos de engenheiros, então se você tiver interesse em trabalhar nesta área, nós pagaremos a sua capacitação para que ela tenha validade em nosso país”.

E agora?

Essa é uma história real e aconteceu com o sobrinho de uma amiga, mas não vou te contar o que ele decidiu por enquanto. Quero primeiro saber… o que você faria?

 

PENSANDO A CARREIRA DO JEITO ALEMÃO

Confesso que fiquei impressionada com a visão de “necessidades primeiro” da Prefeitura alemã. Aliás, falamos sobre este tema aqui neste post e no e-book Necessidade vs ideia

Ao se preocupar com as necessidades locais, a cidade pretende criar uma situação de “ganha – ganha – ganha”.

Isto é, ganha…

  • o empreendedor, que aumenta drasticamente sua chance de sucesso, uma vez que o está construindo um novo negócio com base em uma necessidade real, já validada.
  • ganham os moradores, que têm grandes chances de serem atendidos em suas necessidades (desde que seja feita uma avaliação justa de quais necessidades são essas, sem favorecimentos) e por meio da geração de empregos.
  • Por fim, ganha também a Prefeitura, fazendo a economia girar, entre outros aspectos.

Levando estes pontos em consideração, você já fez a sua escolha?

Se já fez, então vou colocar um contraponto nesta história e uma dúvida em sua cabeça. Para isso, trago um aspecto cultural bem diferente, vindo lá de longe: do Japão.

 

PENSANDO A CARREIRA DO JEITO JAPONÊS

Para entender o lado japonês desta história, precisamos conhecer o conceito de Ikigai.

Aliás, o Ikigai é mais do que um conceito japonês. É um estilo de vida que representa a ideia da “razão de ser”, isto é, aquilo que nos motiva. De acordo com os japoneses, todos têm um Ikigai. Mas nem todos sabem o que ele é. Descobrir o Ikigai é uma jornada interior importantíssima e fundamental para a vida de todos.

É possível facilitar sua busca pela ‘razão de ser’ usando como base algumas perguntas que devem ser feitas a si mesmo. O desenho abaixo é um exercício, no qual cada pergunta te leva mais próximo de seu Ikigai. Se quiser saber mais sobre como realizar esta atividade, clique aqui.

 

conceito do IKIGAI - empreendedorismo

 

Perceberam onde quero chegar? Diferentemente da Prefeitura da cidade alemã, que promove ótimos incentivos para que uma pessoa siga o que foi decidido de antemão ser melhor para a sociedade, mesmo que fuja completamente de seus planos iniciais, o conceito do Ikigai busca uma harmonia entre os seus desejos, virtudes e capacidades, sem esquecer, também, da parte social – mas focando mais no que é importante para você. Qual destas duas abordagens mais te atrai?

Citei apenas duas diferentes abordagens culturais entre tantas outras sobre este tema. A ideia não é fazer você se encaixar em um destes padrões, mas trazer uma reflexão sobre os diversos aspectos que circundam nossas escolhas profissionais e de vida, além de formas diferentes de encarar os desafios que o futuro nos guarda. Faço questão de ressaltar que não gosto de generalizar, porque muitas pessoas nas nações citadas tomam esta decisão com base em outros tantos aspectos!

 

QUAL A SUA DECISÃO?

Está curioso para saber qual foi a decisão do sobrinho da minha amiga? Ele está cursando engenharia, subsidiado pelo governo, para atuar na necessidade latente local e com isso aumentar suas chances de sucesso. Seria ótimo poder conversar com ele daqui a uns anos para saber como andam as coisas, não é mesmo?

E você? Está mais para alemão ou japonês? =)

Se quiser responder esta pergunta diretamente para mim, é só mandar um Whatsapp para +55 11 99417-7424. Estou curiosa!

2 Comments

  1. Acho que as duas abordagens podem funcionar muito bem. Eu, por exemplo, era mais ‘alemão’ e até dava certo, mas hoje estou mais ‘japonês’. Depois de um certo tempo, trabalhar com propósito tem me feito muito bem e está me fazendo produzir com mais qualidade. Arigatou!

Escreva um comentário

Bitnami